TV Abrale: Posso tomar a vacina da gripe?

Dia de vídeo novo na TV Abrale e o tema de hoje interessa a todos! Pacientes oncológicos ou não, garanto que vale a pena ver.

Falamos com a Dra. Michelle Zicker, infectologista da BP – a Beneficência Portuguesa de São Paulo, sobre o vírus da gripe. Sabe a tal Influenza que tanto temos ouvido falar? Então!

No nosso bate-papo, ela explicou se há diferença entre a gripe e a influenza, sobre a vacina, como evitar o vírus e muito mais.

Eu esclareci várias dúvidas e aprendi bastante com a Dra Michelle. Acredito que você também vai.

Veja o vídeo e depois me conte aqui o que achou. ;o)

Beijo, beijo!

Você também vai gostar:

TV Abrale: Plaquetopenia

Olha só mais um vídeo da TV Abrale na área! Dessa vez falamos sobre Plaquetopenia com a Dra. Elisabetta Sachsida, hematologista.

Você tem ideia do que seja isso?

A plaquetopenia pode surgir como efeito colateral dos tratamentos contra o câncer, e também, como sintoma dos cânceres do sangue (leucemia e linfoma, por exemplo). Mas como tratar esse quadro?

A Dra Elisabetta trouxe muitas informações esclarecedoras! Vem ver!

Eu tive queda de plaquetas, mas foi menor do que esperávamos, ufa!

Não precisei de transfusão de sangue e a recuperação após a queda era em um tempo viável para retomar o tratamento (a queda acontecia entre os ciclos de quimioterapia).

E aí, curtiu? Me conta!

Quinta que vem tem mais!

Beijo, beijo!

Você também vai gostar:

TV Abrale: Alimentos que ajudam ou prejudicam o câncer

A alimentação é uma forte aliada para qualquer pessoa manter uma vida saudável. Não seria diferente durante um tratamento para vencer o câncer, não é?

Mas, durante o tratamento, é comum ouvirmos das mais variadas teorias sobre a alimentação. Tem umas meio terroristas, inclusive, rs! O açúcar, por exemplo tem fama de vilão, dizem que ele alimenta o câncer! Eu fiquei tensa de imaginar que não poderia consumir nenhum docinho por meses, mas felizmente minha médica não colocou o açúcar como restrição. Se tivesse colocado, eu sofreria, mas não comeria!

E passou da hora de entendermos isso melhor!

Por isso, o último vídeo da Abrale tem uma entrevista ótima com a Luana Almeida, nutricionista oncológica, pra entender se há alimentos que ajudam ou prejudicam o câncer.

Adorei o papo e desvendamos vários mistérios!  Aproveitei para tirar várias dúvidas.

Veja o vídeo e me conte o que achou!

E aí?

Beijo!

 

Você também vai gostar:

Dia mundial de combate ao câncer

Vencendo o câncer.

6 ciclos de quimioterapia, 18 aplicações de radioterapia, 4 pet scans, incontáveis exames e o que mais vier pela frente. Quase 8 meses depois que tudo começou, com um turbilhão de sentimentos e aprendizados. Apesar de tudo, estou longe de me vitimizar e tenho carinho pelo meu linfoma. Pode ser estranho pra quem nunca passou por algo do tipo, mas é real. Tenho crescido muito graças a ele. Mesmo assim, NÃO DESEJO QUE VOCÊ PASSE POR ISSO. Acho que podemos evoluir de outras formas e sem sofrimento, rs.

Hoje, 08 de abril, é dia mundial de combate ao câncer. E essa causa me escolheu. Por isso, se eu puder te falar duas coisinhas sobre tudo isso com base no que tenho vivido até aqui, é que:

(1) Cuide-se. Vá ao médico, faça seus exames regularmente e, principalmente, preste atenção nos sinais do seu corpo. Isso pode salvar sua vida.

(2) Por favor, câncer NÃO é sentença de morte. Sim, todos vamos morrer, mas não é porque alguém tem câncer que vai ser disso. Cada caso é um caso. Então, amigo(a), se um dia você ou alguém próximo receber esse diagnóstico, levanta a cabeça e bola pra frente. Não é fácil – não mesmo -, mas também não é impossível. Foca no pensamento positivo. Isso ajuda muito.

É isso. Poderia escrever páginas sobre cada frase acima, mas hoje a mensagem tem que ser clara e objetiva.

#diamundialdecombateaocancer
#vemcura

Você também vai gostar:

TV Abrale: Efeitos colaterais tardios do tratamento

Um tratamento oncológico é, na maioria das vezes, baseado em quimioterapia e/ou radioterapia. Ele traz inúmeros efeitos no nosso corpo e judia mesmo, mas salva a vida do paciente.

Em mim, causou dores no corpo, inchaço, sensibilidade na pele, mudou o formato das unhas, deixou a mucosa da boca irritada e outras coisinhas mais. A maioria desses sintomas passa um tempinho após o término do tratamento. Mas, é importante lembrar que há, ainda, outros efeitos que podem surgir tempo depois.

No meu caso, por exemplo,  sei que posso desenvolver hipotiroidismo por conta da radioterapia, que pegou a região da tireoide. Segundo minha médica, pode acontecer daqui uns 10, 15 anos. Se acontecer.

O último vídeo da TV Abrale fala sobe isso! Olha só o que o Dr. Ronald Pallotta me contou sobre o tema!

E aí, gostou?

Beijo!

Você também vai gostar: